Meio ambiente

Caso do Aterro Sanitário Titara Publicada em 28/02/2018 14:53:42

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira, 27, no gabinete da Prefeitura Municipal de Rosário, que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal e de vários vereadores, do Assessor de Assuntos Institucionais do Município e do Secretário Municipal de Meio Ambiente, foi colocado em pauta o problema do forte mau cheiro percebido na cidade, vindo da Central de Tratamento de Resíduos - CTR Titara, localizado no povoado Buenos Aires, para onde são destinados os resíduos (lixo) de quase todos os municípios da Região Metropolitana da Grande São Luís, especialmente da capital, São Luís.

A prefeita Irlahi Moraes (PMDB) determinou que fossem cobradas providências urgentes junto ao órgão licenciador do empreendimento, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente – SEMA, que tem a obrigação legal de fiscalizar as atividades do Aterro Sanitário. “Precisamos cobrar do Governo uma posição urgente para evitar transtornos dessa natureza e contribuir para o bem estar da população”, pontuou Irlahi.

Foi formada uma comissão composta pela prefeita Irlahi, pelo secretário Leandro Cavalcante e por vereadores municipais, que estará reunida com o secretário de estado do meio ambiente, Marcelo Coelho, na próxima semana, onde será solicitada uma vistoria técnica a ser realizada pela SEMA no Aterro Sanitário em Rosário e posicionamento técnico da empresa Titara para diagnóstico e solução do problema.

 

Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos

Em agosto de 2017, o Governo do Estado formalizou parceria com os municípios da região metropolitana para arcar com os custos da destinação dos seus resíduos para o Aterro Sanitário localizado no município de Rosário, com o objetivo de pôr fim aos lixões, recuperando áreas degradadas e estimulando a coleta seletiva e reciclagem.

Em Rosário, a empresa Titara realiza os serviços de coleta, transporte e destinação final dos resíduos sólidos residenciais do município. De acordo com Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2015 (PNAD), a cidade de Rosário está em conformidade com as exigências da Lei nº 12.305/2010, que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos, graças à existência da CTR Titara no município. “Entendemos que a existência do Aterro Sanitário em nosso município cumpre a exigência imposta pela Lei Federal que trata dos resíduos sólidos, configurando uma grande evolução em termos de preservação ambiental e de saúde pública. Entendemos, também, a necessidade de alguns outros municípios em utilizarem a CTR em Rosário para realizar a destinação correta de seus resíduos. O que não podemos aceitar, é que o empreendimento funcione foras dos padrões técnicos impostos pela legislação ambiental e nem que provoque poluição em nosso município, causando incômodo e colocando nossa poluição em risco”, afirmou a prefeita.

 

Mais em Meio ambiente


Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!